sexta-feira, 8 de abril de 2011

O Vizinho Me Castigou Gostoso

Hoje vou contar uma história sobre mim e um vizinho muito safado.

Onde eu moro é um bairro mais residencial, e na minha rua praticamente só tem casas, e por isso eu tenho muitos vizinhos. Mas o meu vizinho preferido é um cara de uns 30 e poucos anos que mora bem aqui do lado de casa. Ele é casado com uma mulher mais velha, feia pra caralho parece um bagaço. Mas deixa a piranha pra lá, quero mesmo é descrever pra vocês o gostosão.

Eu sempre tive o maior tesão nele, ele deve ter uns 1,75m de altura e é meio fortinho, parrudo, tem um baita peitoral definido, umas coxas grossas e cabeludas. Ele tem o cabelo preto e bem curtinho com uns fiozinhos meio grizalhos, mas não muito, afinal ele não é tão velho assim. O nome dele é Marcos.

Eu consigo ver o quintal da casa dele lá da janela da cozinha e a janela do quarto do casal dá pra ver direto da janela do meu quarto, que sorte! Por essa visibilidade toda eu já vi ele em muitas situações.

Certa vez no verão eu vi esse homem sem camisa cortando a grama no quintal, meu deus do céu que tesão! Com aquele peitoral definido, forte, todo cabeludo - ele é todo cabeludo por todo o peito, pela barriga, por tudo, parece um ursão (ADORO!!!).

Eu às vezes fico espiando por uma fresta da cortina fechada da minha janela pra ver se eu consigo ver ele lá no quarto dele. Teve uma vez eu estava espiando lá e de repente eu vejo o rapaz entrando no quarto só com uma toalha enrolada na cintura! Que puta tesão do caralho, o guarda-roupas dele fica bem de frente pra minha janela, e a janela dele tava aberta e sem cortina, ou seja, eu vi tudo e ele nem reparou! Vi ele de costas abrindo o armário com aquela mão enorme e cabeluda, revirando as roupas lá dentro, dava pra admirar ele todinho, aquelas costas largas, aquelas pernas grossas, quem me dera poder enxergar também através daquela maldita toalha.

Alí estava eu espiando o Marcão pela janela, eu já tava de pau duro vendo ele ali todo molhadinho saindo do banho, e pra minha surpresa de repente ele simplesmente deixa a toalha cair no chão! Puta la merda! Aquela bundinha malhada, branca, lisinha, com aquela marca de sunga, meu deus do céu nessa hora eu enlouqueci, meu pau ficou duro igual uma pedra e eu meti a mão dentro da minha calça pra dar uma acalmada no pinto que já estava em choque vendo aquela cena!

Vi então ele calmamente colocar a cueca, uma cueca boxer, nossa que bela cena! Então ele pegou um bermudão de dentro do guarda-roupa e se virou de frente pra janela. Pena que não deu pra ver a rola do rapaz, vi somente um volume na cueca. Então ele colocou a bermuda, depois pegou uma camiseta e saiu do quarto.

Nossa, eu bati uma punheta muito gostosa depois dessa. Depois de ver aquele tesão de urso trocando de roupa bem debaixo dos meus olhos. Me deitei na cama e toquei uma bela punheta imaginando cenas de sexo anal gostoso e selvagem com o Marcão. Então gozei, e fiquei imaginando se algum dia aquelas cenas poderiam se tornar realidade. Na hora me lembrei que aquele marmanjo era casado, apesar de que a vadia era uma bagaça, um verdadeiro canhão, era com ela que ele dividia a cama, era com ela que ele gozava todas as noites depois de fazer aquele amor gostoso, era ela que chupava aquela rola, era ela, aquela quarentona acabada, que levava aquela piroca dura naquela buceta enrugada e no cu sempre que tinha vontade. Quem me dera também poder algum dia desfrutar de todas essas coisas com ele. E quem disse que isso era impossível? Afinal existem muitos homens casados bissexuais, que casam mas pulam a cerca com outros homens. Disso o mundo tá cheio.

Pois bem, certa vez estávamos eu e uns amigos meus da vizinhança jogando futebol no meio da rua como de costume, porque na nossa rua quase não passavam veículos e não tinha nenhum campinho de futebol por perto. Daí os guris começaram a avacalhar com o jogo, então eu fiquei com raiva e dei um chute tão forte na bola que ela voou longe, longe demais. A bola foi parar direto na janela da frente da casa do Marcos, puta que pariu! Sem querer, quebrei a janela do cara, voou estilhaços de vidro pra tudo quanto é lado. E o pior é que ele estava em casa, e logo olhou pela janela quebrada pra ver quem havia cometido aquele delito. Os guris foram todos se esconder, óbvio. Mas ele me viu antes que eu pudesse me esconder, lá da janela quebrada ele me viu, e me chamou.

O Marcão tava me chamando e lógico, não era pra me fazer um carinho nem pra me dar um chupão no pescoço. Ele tava me chamando pra tirar satisfação. Eu todo nervoso, fui em direção à casa. Chegando no portão ele me olhou da janela com uma cara de indignação e gritou com aquela voz grossa: "Entra aqui e vem juntar essa bola antes que eu arrebente com ela!"

Ele tava puto! Muito puto! Fiquei até com medo dele me dar uma porrada na cara... mas enfim, abri o portão todo nervoso e entrei no quintal dele, ele ficou me encarando pela janela quebrada, enquanto eu procurava a maldita bola, então percebi que a bola não estava no quintal, ela provavelmente tinha atravessado a janela e ido parar lá dentro da sala dele, lá de onde ele estava me observando inquieto. Perguntei pra ele:

- Cadê a bola que eu não tô vendo?

- O que que tu achas? Essa porra atravessou a janela e veio parar aqui dentro!

- Pô desculpa aí, Marcos, foi sem querer...

- Desculpa?! Vocês vivem chutando essa porra dessa bola no meio da rua, já quebraram não sei quantas janelas, eu sabia que um dia vocês ainda iam quebrar uma janela da minha casa!

- Tá, eu sei, já pedi desculpa, eu não fiz de propósito, foi sem querer mesmo, foi mal...

- O que adianta pedir desculpas, a janela já tá toda quebrada! Quero ver como pretendes pagar, porque não vai ficar assim!

O cara tava puto mesmo, ele tava irado! E pelo visto, a baranga da mulher dele não tava em casa, senão ela já teria aparecido pra encher o saco e tomar conta da situação. O que eu ia fazer? Eu tava desempregado, sendo sustentado pela mãe e pelo pai. Como eu ia pagar a janela do rapaz?

- Pô cara, foi mal mesmo, eu tô sem grana, não sei como eu vou fazer...

- Era só o que me faltava mesmo... Vem então pegar essa merda dessa bola aqui dentro e limpar esses cacos de vidro, pelo menos isso!

- Tá, beleza, eu vou limpar tudo, pode deixar...

Foi então que eu me dirigi até a porta. Ele abriu a porta e eu entrei na sala. Na hora avistei a bola do lado do sofá e a janela toda estilhaçada, os cacos de vidro espalhados por todo o chão. O Marcos pediu pra eu esperar um pouco e foi na cozinha. Eu fiquei ali na sala esperando, e comecei a ouvir o som da televisão que estava ligada lá no quarto dele. Nossa! Era uns gemidos, uma respiração ofegante, uns gritos de mulher, gritos de prazer... Pois vejam só, o safado tava assistindo um pornozão na hora em que a bola atravessou a janela! Quem diria!

Logo ele voltou me trazendo uma vassoura e uma pá, e mandou eu varrer: "Toma, pega aí a vassoura, limpa essa sujeira, que eu já volto". Então ele me deu as costas e foi pro quarto. Eu peguei a vassoura e comecei a varrer os cacos de vidro, enquanto isso eu escutava claramente os gemidos e gritos de tesão vindos de algum DVD pornô que o marmanjo tava assistindo descaradamente no quarto.

Terminei então de varrer todo aquele monte de cacos e estilhaços de vidro, juntei tudo com a pá e fui na cozinha procurar uma sacola. Como eu achei que não seria legal fuçar nas coisas dele, pois ele podia ficar bravo, eu chamei ele:

- Ô Marcos, onde tem uma sacola pra botar os cacos?

Chamei em vão, porque ele não deu nem sinal. Só se ouvia aqueles gemidos incessantes vindos do DVD de putaria. Tentei denovo:

- Marcos!

E nada do maluco me responder. Então fui na maior cara de pau até o quarto dele. A porta estava entreaberta, então eu cheguei de mansinho e dei aquela espiada no quarto. Puta que o pariu! O marmanjo tava lá de pé diante da televisão assistindo filme de sacanagem, com a bermuda arriada, e com o pau bem duro na mão tocando uma punheta na maior tranqüilidade!

Fiquei ali de boca aberta, quase babando, espiando o Marcos tocar uma bela punheta naquele pau comprido. De repente, eu fiquei tão excitado que sem querer eu deixei a pá cair com os cacos de vidro no chão! Ele se assustou com o barulho, levantou a bermuda correndo e veio até a porta. Ao me ver ali juntando denovo os cacos de vidro diante da porta ele me puxou pela gola da camisa e me xingou:

- Puta merda! Tu me juntou a sujeira da sala e veio trazer pra porta do meu quarto?! Tu é doido?!

- Desculpa, é que eu tava procurando uma sacola pra colocar os cacos de vidro, daí eu te chamei mas tu estavas aí no quarto assistindo TV e não me ouviu, por isso eu vim aqui te chamar!

- Porra cara, cansei das tuas desculpas! Vem aqui!

Ele me puxou pra dentro do quarto e fechou a porta do quarto com a chave. Na hora eu reparei que a bermuda dele tava com um volume enorme. Claro, o safado ainda tava com o pau bem duro, e o DVD continuava rodando, tava aparecendo uma foda entre um negão e uma loira, a loira de quatro e o negão socando fundo a vara comprida na xoxota molhada da vadia, e ela gemendo e gritando sem parar, louca de tesão.

Ele viu que eu reparei na calça dele e ele se ligou que eu tinha visto ele tocando punheta. Então ele viu que eu tava olhando sem parar pro volume na calça dele e me perguntou:

- O que tu tá olhando aí, cara?

- Nada, ué...

- Como assim nada? Tá aí parado olhando pro meu pau por quê?

- Nada, nem tô olhando nada, tá doido?

- Tu achas que me engana?

- Como assim?

- Tu achas que eu não reparei que tu tá sempre me espiando lá da janela do teu quarto? Tu fica lá quase todo dia me espiando, vendo quando eu venho no quarto trocar de roupa. Tu achas que eu nunca percebi? Tu achas que eu sou trouxa?

- De onde tu tirou isso? Tu tá viajando, cara...

- Eu sei que tu curte, já ouvi uns boatos por aí. Sei que tu é chegado numa rola dura.

Na hora eu fiquei gelado. Comecei a tremer. O safado sempre soube que eu espiava ele pela janela do meu quarto, e até já sabia o que eu curtia. Mas e daí? O que ele ia fazer? Me bater? Me xingar? Espalhar pra todo mundo que eu curtia homem? Falar pros meus pais? Me humilhar na vizinhança? Foi então que ele se revelou:

- Não precisa ficar com essa cara, guri. Eu não vou espalhar por aí o que tu curte. O que tu curte é problema teu, ninguém tem nada que ver com isso.

- Tá, tudo bem. Eu só quero uma sacola pra juntar os cacos de vidro, depois eu pego minha bola e vou embora.

- Deixa os cacos pra lá que depois eu junto. O que tu tá afim de fazer?

- Como assim?

- Pega no meu pau, pega...

O safado pegou minha mão e colocou no pau dele por cima da bermuda. Nossa que tesão do caralho! A rola tava bem dura e eu fiquei ali só apertando e acariciando o pauzão do Marcos. Que homem mais safado, quem diria que ele curtia essas coisas! Na hora me lembrei da bagaça da mulher dele e perguntei:

- Tu é doido! E se a tua mulher pega a gente aqui nessa situação?

- Que nada, ela tá viajando na casa dos pais dela e só volta depois de amanhã. Fica tranqüilo, a gente pode aproveitar bastante.

Nossa eu tava muito puto de tesão, meu pau tava mais duro que uma pedra, e eu ali no quarto, de pé diante do Marcos, ainda agarrado no pau dele. Ele então arriou a calça e finalmente eu pude ver a piroca dura descoberta diante de mim, e embaixo os fartos bagos balançando pra lá e pra cá naquele sacão cabeludo. Meu deus do céu, eu sempre sonhei um dia pegar e acariciar aquele marmanjo, e agora ele era só meu pra deitar e rolar! Ele estava ali diante de mim, à disposição, pronto pra fazer de tudo, tudo o que quizéssemos fazer, todas as putarias e safadezas que eu sempre imaginei fazer com ele, eu estava com a oportunidade nas mãos, não podia deixar escapar essa chance de realizar as minhas fantasias com o vizinho gostoso! Ele logo começou a me fazer os pedidos:

- Vem, dá uma chupada gostosa na minha rola!

Na hora me ajoelhei na frente dele e abocanhei o caralho duro e quente. Chupei bem gostoso, o pau do Marcão entrava e saía da minha boca gulosa, enquanto as bolas balançavam sem parar pra frente e pra trás, e ele só alí de pé diante de mim, só curtindo o boquete gostoso que eu fazia nele com tanto tesão e vontade:

- Isso, chupa gostoso, safado!

Como eu adoro um saco, resolvi então dar uma bela chupada naqueles bagos saborosos. Tirei a rola da boca e comecei a lamber as bolas. Lambia, lambia, lambia aquele saco sem parar, abocanhei uma das bolas, depois abocanhei a outra, depois as duas ao mesmo tempo, sempre sentindo os cabelos enroladinhos do saco roçando no meu rosto! Nossa! Lambuzei completamente aquele sacão cabeludo! Chupei, chupei, e saboreei aqueles grandes bagos até não querer mais. Então ele resolveu me excitar um pouco também:

- Vem, levanta...

Enquanto eu me levantava ele foi tirando a própria camiseta. Depois que tirou a camisa, ele deu uma pegada firme no meu pau por cima da calça. Meu pau já tava tão duro que tava quase estourando a minha cueca. Ele ficou ali na minha frente, quase encostado em mim, apertando sem parar o meu pau com uma mão e apalpando minha bunda com a outra mão, e eu passando a mão naquele peitoral cabeludo. Nossa! Tantas vezes eu vi aquele peitoral lindo quando ele andava pra lá e pra cá sem camisa pelo quintal, e agora ele era todinho meu pra acariciar até não querer mais!

Logo, ele tirou a minha camisa e então veio lambendo e chupando os meus mamilos. Porra, eu tenho o maior tesão nisso! Ele acariciava o meu pau por cima da calça enquanto chupava e mordia os meus mamilos. Foi aí que ele resolveu abaixar a minha calça e minha cueca ao mesmo tempo, e veio direto com a mão no meu saco, começou a apalpar, a acariciar as minhas bolas enquanto me lambia, chupava meu pescoço, enfiava a língua quente e molhada na minha boca, passava a mão na minha bunda.

Nossa, eu tava delirando, tava enloquecendo já com aquela pegação gostosa! Que caralho de tesão eu tava sentindo, aquele marmanjo me agarrando, me lambendo, me beijando, me acariciando, aquela barba áspera roçando no meu rosto, no meu peito, descendo pela minha barriga, e logo senti a boca dele abocanhando o meu pau. Sim, o Marcão tava alí ajoelhado na minha frente, me pagando um boquete. Meu deus do céu que delícia de boquete! O cara engoliu meu pau todinho, senti só minhas bolas roçando no queixo dele e meu pau dentro daquela boca quente. Ele chupava, chupava, chupava, o rapaz fez o meu pau de pirulito, hehehe... Nossa, foi muito gostoso, o melhor boquete que eu já recebi até hoje foi o do Marcos.

Depois daquele belo boquete, o Marcão levantou e retomou a chupação do meu pescoço. Então de repente ele colocou o dedo indicador na própria boca, lambeu bem, e veio metendo o dedo no meu cuzinho apertado! Ui, nossa, que cara safado, enfiou sem dó o dedo no meu cu, assim por baixo, enquanto chupava o meu pescoço ele ficava me dedando, isso me deixou muito puto, com muita vontade de tomar no cu.

Depois de meter bastante o dedo no meu cuzinho quente, ele me fez um pedido:

- Deita de bruço alí na cama, vai...

Falando com aquela voz rouca de homem com tesão, como eu poderia resistir? Atendi ao pedido do meu macho e me deitei na cama dele de bundinha pra cima, com o cuzinho fervendo, ardendo em chamas, louco pra levar uma pintada.

Mas pra minha surpresa, o safado não veio deitar por cima de mim de pau duro. Logo senti a lingua quente e molhada roçando no meu cuzinho! Eu tava alí deitado de bruços só levando linguada no cu. Ele lambia, lambia, chupava gostoso o meu cuzinho, e eu só delirando com aquela sensação gostosa. Ele pra me deixar com mais tesão ficava falando mil putarias enquanto metia a língua no meu rabinho:

- Gosta de levar uma linguada no rabinho, né, safado?

- Adoro... Vai, chupa meu cuzinho, chupa...

- Vou chupar bem esse rabinho porque daqui a pouco quando tiver bem relaxadinho eu vou penetrar ele bem gostoso. Tu curte?

- Adoro, adoro levar rola.

- Pode deixar que eu vou te comer bem gostoso depois dessa linguada.

Depois de chupar bastante e relaxar bem o meu anelzinho, senti que estava pronto pra levar rola. Falei que eu já estava com o cuzinho pronto, e então o safado veio com a proposta irresistível:

- Vem cá, safado... fica aqui de franguinho assado.

Então eu fiquei na posição preferida dele, fiquei de franguinho assado pra ele finalmente realizar a minha maior vontade naquele momento: tomar gostoso no cu. Ele segurou minhas pernas, posicionou aquela vara comprida no meu cu e começou a penetrar com calma, sempre falando mil putarias pra me deixar com mais tesão:

- Isso, vem cá, dá esse rabinho gostoso, vem que hoje eu vou fazer esse cuzinho de buceta...

- Nossa, gostoso, mete, mete mais...

- Tô metendo, tá entrando, tá sentindo a rola entrar?

- Tô, tá entrando bem gostoso, vai, não pára...

E ele continuou metendo, até o talo! Quando eu percebi a vara tava totalmente cravada no meu rabo apertado. Então o safado, segurando as minhas pernas, começou a socar a piroca gostoso no meu cuzinho quente, ele tava ali só curtindo, saboreando minha bunda, comendo gostoso o franguinho assado. Socava, socava, socava e gemia:

- Aff, que cuzinho gostoso... Tá gostando de tomar no cu?

- Que tesão, tô adorando...

Depois de socar bastante, depois de me comer de franguinho assado nós decidimos mudar de posição. Ele tirou o pau do meu cu e mais uma vez me fez um pedido irresistível:

- Vem, safado, agora eu quero te ver por cima.

Ele se deitou na cama com o pau ainda bem duro e eu fui sentando na vara, de frente pra ele. O pau entrou fácil e rápido, logo eu estava cavalgando gostoso na rola do Marcão. Eu subia e descia, subia e descia, metia e tirava o pau do meu cu, e ele só aproveitando a putaria, pedindo mais:

- Isso, cavalga gostoso na minha rola!

Comecei a cavalgar mais rápido, dei umas cavalgadas vigorosas naquela rola, fui cavalgando cada vez mais e mais rápido, então percebi que ele tava quase gozando. Ele ajudava também e empurrava o pau pra cima pra entrar mais fundo no meu cu, e eu tava ali delirando encima da vara.

Metemos, metemos, metemos até que então ele finalmente gozou. Esporrou muito leitinho quente no meu cu. Levantei do pau dele e fiquei de pé ao lado da cama tocando punheta. Ele logo se levantou também, veio por trás de mim e me deu um abraço de urso por trás com o pau já mole e babado de porra encostado na minha bunda. Eu tava tocando punheta quando ele veio com a mão no meu pau e começou a me ajudar, então eu soltei o meu pau e deixei por conta dele. Ele tocou uma bela punheta pra mim até eu gozar na mão dele. Nossa, gozei tanto, mas tanto, que a mão dele ficou toda melada de esperma.

Coloquei a roupa e ele também se vestiu. Ele veio me dando um beijo de língua e me levando pra porta da casa. Como despedida ele me disse umas palavrinhas:

- Esse vai ser o nosso segredo. Não vou espalhar pra ninguém que eu fiz esse cuzinho de buceta, e você não vai contar pra ninguém que eu te comi, beleza?

- Beleza, pode crer.

- Pega a tua bola alí e deixa que a janela é por minha conta.

- Beleza...

Peguei a minha bola que estava do lado do sofá, e saí da casa do Marcão, me sentindo realizado. Nunca pensei que quebrar a janela do vizinho gostoso me traria tanto prazer. Foi uma delícia, uma tarde inesquecível, uma foda gostosa com um marmanjo safado e uma rola saborosa que eu saboreei de todas as formas possíveis. Quase 1 hora saboreando aquele rapaz, esse foi o tempo que pareceu uma eternidade pra mim.

Mas ao virar a esquina de casa, não é que eu vejo os meus camaradas pacientemente me esperando até agora que eu voltasse com a bola?



Baixar "O Vizinho Me Castigou Gostoso" (formato PDF, 40 KB)

6 comentários:

  1. Delicia demais ...
    Add honem1@hotmail.com
    Goinia Goias

    ResponderExcluir
  2. Tire uma foto do seu vizinho gostoso o Marcos e posta nesse memo texto.

    ResponderExcluir
  3. Vc escreve tão bem que toda história eu me exito tão facilmente que depois é impossível não bater uma bunheta gostosa...

    ResponderExcluir
  4. add eu msn aii wilian-ps@live.com

    ResponderExcluir
  5. nossa amei esta historia. olha eu to doidinho p\ dar pro meu viszinho gostozao o nome dele e paulo mais conhesido cm paulao.. mais tenho medo de tomar iniciativa sabe :(. oq eu devo fazer???? ele è mt lindo. antigamente eu sempre dava o cu pros meu primos ultimamente faz 5 anos de n entra uma rola no meu cuzaoooooo :( quem tier interesado de me comer respoonde ai q passo meu face

    ResponderExcluir