quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Sacanagem no Banheiro da Escola

Eu e meu amigo Bruno estamos cada dia mais safados...

Certa noite na escola, estava eu estudando Biologia, ouvindo as explicações do professor, ele estava falando sobre anatomia humana. Falava de pênis e de vagina, e essas coisas. Da vagina não me interessei muito, mas do pênis, foi a parte que eu mais gostei. Não só eu, mas ele, o Bruno.

Do nada, no meio da aula, o guri safado me cutucou no braço, quando eu olhei assustado pra ele, ele me deu um pedaço de papel todo amassado parecia lixo. Peguei a bolinha de papel e desamassei. Estava escrito com letras miúdas: "Te espero no banheiro"... Nossa! Esse Bruno era um puto sem-vergonha. E eu adorava. Depois que li a mensagem sacana, amassei de novo o bilhetinho e meti no meu bolso, pra ninguém ver. Olhei pro lado, e ele estava com a cabeça baixa fingindo estar lendo, e dando aquele sorriso safado que eu já conhecia muito bem.

De repente, eu ouvi ele chamando o professor em alto e bom som:

- "Professor!"
- "O que é, Bruno?" - Perguntou o professor, interrompendo a explicação da aula.
- "Posso ir no banheiro?"
- "Vai, não demora, ainda tenho que explicar como funciona os hormônios sexuais."

Que hormônios, o caramba! De hormônios aquele puto já sabia até demais, adorava trocar uma testosterona comigo, o hormônio dos machos. Fiquei puto quando vi ele saindo da sala e olhando pra mim com aquele olhar sério e que dizia tudo o que eu queria ouvir da boca dele: "Vem meu guri, vamos fazer uma sacanagem gostosa no banheiro".

Esperei mais ou menos uns 3 minutos pra não parecer que era combinado. Fiquei todo nervoso, imaginando: "Será que alguém vai desconfiar de algo?" Mas eu não tinha tempo a perder. Se demorasse muito o professor e a turma inteira podia realmente desconfiar da nossa sacanagem. Tive que pensar rápido numa desculpa para sair, mas não podia dizer que ia no banheiro, ou ficaria muito suspeito. Então, sem enrolar mais, decidi chamar o professor:

- "Professor!"
- "Fala, Leonardo." - O professor respondeu, mais uma vez interrompendo a aula.
- "Eu ainda não tirei o xerox da matéria que o senhor pediu, posso ir lá agora?"
- "Leonardo, você teve uma semana inteira pra isso! Tudo bem, vai lá, mas não demora! E se vir o Bruno pelo caminho, traz ele de volta na marra!"

Eu levantei da cadeira todo nervoso e já de pau duro, imaginando a putaria que ia rolar naquele banheiro, imaginando o meu Bruno peladinho denovo na minha frente, imaginando mais uma vez o caralho do meu amigão me penetrando profundamente e com vontade. Mal sabia eu o que me esperava dessa vez...

Saí tremendo pela porta e fui caminhando pelo corredor vazio, todos estavam dentro das suas salas, o pátio lá embaixo estava vazio, e faltava muito ainda pro intervalo. Desci as escadas pro pátio, já estava escuro, era umas 8 horas da noite. Atravessei o pátio todo até o banheiro masculino, com o coração disparando.

Entrei pela porta do banheiro que estava aberta. Eu estava suando frio, e logo que entrei meu coração disparou mais rápido, e comecei a ofegar. Eu estava muito puto e louco pra pegar de jeito o meu Bruno, pela segunda vez. O banheiro estava vazio, e haviam 5 mictórios num canto, e 5 cabines no outro canto, onde estavam os vasos sanitários, óbvio. Logo eu senti a presença de alguém dentro de uma das cabines, a única que estava fechada. Parei na frente da porta e imaginei: "Será que é o Bruno mesmo que está alí dentro?"

De repente, o cara abriu a porta. Me virei de costas pra ele não achar que eu estava o espiando. Mas ele botou a mão no meu ombro e me chamou com uma voz baixa e rouca, quase sussurando no meu ouvido:

- "Sou eu Léo, o Bruno."
- "Bah cara tu me assustou, pensei que era outra pessoa aí dentro!"
- "Calma, cara. Vem, entra aí..." - Ele disse me olhando com aquele olhar sério.

Obedeci ao pedido do meu amigo, o meu homem. Entrei na frente dele dentro da cabine, e em seguida ele foi até a porta do banheiro pra ter certeza que não havia ninguém no pátio. Então, ele fechou a porta do banheiro, entrou na cabine e fechou a nossa porta, trancando por dentro com o trinque.

Pela primeira vez, o Bruno me beijou. Ele me prensou contra a parede da cabine, e encostou os lábios molhados e quente nos meus. Enquanto ele beijava os meus lábios, senti o perfume dele, um perfume forte de homem, misturado com o suor dele, pois estava muito calor e lá dentro era mais quente ainda. Abracei ele e ele também me abraçou, enfiou a língua quente na minha boca. Nossa, o meu amigo sabia beijar bem pra caralho. Começou a explorar a minha boca com aquela língua que algum dia já havia lambido o meu cuzinho fogoso.

Ele me beijava, e me empurrava contra a parede, senti o pau duro dele esfregando no meu, também duro. Estávamos os dois de bermuda e de camiseta, como sempre. O Bruno era muito quente, comecei a suar muito e ele também já estava com o rosto todo suado. Sentia o calor do corpo dele grudado no meu, os braços dele em volta de mim, as mãos dele atrás das minhas costas, me abraçando e me acariciando. E os meus braços em volta dele, também o abraçando.

Ficamos quase uns 5 minutos só se esfregando alí dentro, nos beijando, nos acariciando, e esfregando os nossos paus um no outro por cima da bermuda. Meu pau começou a doer, porque estava muito, muito duro e eu estava muito excitado e com muito tesão, e o pau dele parecia uma pedra, se eu não soubesse que era o pau dele que estava esfregando nas minhas coxas, eu podia pensar que era algum objeto sólido, como uma lanterna ou sei lá o quê...

Foi então que ele parou de me beijar, e falou sussurando no meu ouvido com aquela voz grossa e rouca de homem safado: "Dessa vez eu é que quero dar pra você." Nossa! Eu imaginando que ele estava louco pra saborear mais uma vez o meu cuzinho apertado, ele queria mesmo era que eu tocasse a vara no cu dele! Na hora me deu um puta tesão, eu ainda não tinha visto a bundinha do meu colega Bruno, mas eu sempre reparava quando ele caminhava com aquela bermuda, eu ficava olhando e dava pra ver que ele tinha uma bundinha gostosa pra caralho...

"Então quer dizer que tu curte levar uma rola também?" - Perguntei a ele com tom e cara de safado.
"Claro, eu gosto de comer um cuzinho mas curto dar também..."
"Pode deixar que eu vou comer essa bundinha então!"

Ele logo se virou de costas pra mim, e ainda de pé, se encostou na parede do outro lado da cabine, bem na minha frente. Ficou alí paradinho à minha total disposição, como se estivesse dizendo: "Pode vir me pegar."

Cheguei perto dele e tasquei-lhe a mão com muito prazer naquela bundinha gostosa. Ví que ele suspirou fundo, e se arrepiou todo. Eu passava a mão na bunda dele com muita vontade, passava os meus dedos pelo cuzinho dele por cima da bermuda. Nossa, o Bruno tinha uma bunda deliciosa, não via a hora de poder saborear aquele rabinho! Que tesão no meu pau!!!

Baixei a minha bermuda e a minha cueca. Meu pau estava literalmente pingando, a cabeça estava roxa de tanto tesão, pensei que meu pau era um foguete, quase explodindo de vontade! E o safado do Bruno olhou pra trás e ficou admirando a minha rola, que não é muito grande não. O pau do Bruno tem uns 17cm, e o meu tem uns 15cm, não acho muito pequeno nem grande, acho na média. E a grossura é normal também.

Comecei a tocar uma punheta de leve pra aliviar um pouco a dor de tanto tesão no meu pau, e o safado do Bruno já foi baixando a bermuda e ficou só de cuequinha na minha frente. Vi aquela bundinha naquela cueca preta, e vi as coxas e pernas dele, bem peludas. Que delícia de gurizão gostoso! Tasquei-lhe denovo a mão naquele rabinho, então ele ficou com tanto tesão que resolveu baixar a cueca também.

Nossa! Na hora que vi aquele rabinho branco pelado na minha frente, quase gozei com o meu pau na mão! Que rabinho gostoso tinha o meu Bruno, aquele homem que um dia me comeu gostoso dentro da sala de aula, dessa vez era eu quem ia comer ele bem gostoso no banheiro da escola! Nem acreditava que aquilo estava acontecendo! A bunda do Bruninho não era tão lisinha como a minha, ele era peludo nas coxas e pernas, e tinha uns cabelinhos ralos na bunda dele, e o cuzinho parecia ser cabeludo também, mas nada exagerado, ele tinha poucos pêlos na bunda.

Comecei a brincar com o cuzinho do Bruno. Passava os meus dedos por cima daquele cu apertadinho, apertava a bunda dele, dava tapinhas de leve, e ele ofegando e empinando a bunda pra trás, pra exibir mais ainda aquele rabinho! Quando ele empinou bem o rabinho pra trás, ví claramente o cu dele, era bem apertadinho e cabeludo, mas não muito.

"Que puto esse guri safado!" - Eu sussurei pra ele.
"E aí, gostou da minha bunda? To louco pra dar ela só pra você!" - Ele me respondeu, louco de tesão.
"Lógico, vou meter nesse cuzinho igual você meteu no meu aquele dia!"

Eu não agüentava mais de tesão. Eu teria que foder o cu do Bruno bem devagar e com calma, senão eu ia gozar muito rápido e não ia satisfazer ele. Não gosto de gozar e deixar o cara insatisfeito. Gosto de estimular bastante o cu do cara, deixar ele bastante relaxado e com muito tesão tanto no cu quanto na ponta do pau. Olhei pra aquele cuzinho, estava se arreganhando todo, louco pra levar paulada, só esperando pelo meu pau.

Foi então que encostei com todo o cuidado a cabeça do meu pau na entradinha do cu do Bruno. Ele veio empinando a bunda e empurrando o cu pra trás pra penetrar logo, mas eu sussurei pra ele:

- "Calma, Bruno, se eu comer o seu cu assim eu vou gozar muito rápido e tu não vai poder aproveitar".
- "Tá, desculpa, não faço mais".

Então ele ficou parado quieto com a bundinha empinada. Segurei a minha rola pela base, enquanto eu fazia força pra empurrá-la pra dentro do rabinho do meu homem, o meu Bruno. Nossa! O cu do Bruno era tão apertadinho quanto o meu! Custou pra passar a cabecinha do meu pau. Mas quando entrou, nossa! Eu pensei que fosse gozar na hora. Ele só gemia e sussurava: "Ai, caralho gostoso..."

Continuei empurrando devagar o pau pra dentro. E aquele rabinho quente e apertado aos poucos foi engolindo e engolindo minha pica dura. Senti minha piça deslizando pra dentro daquele cuzinho fogoso, foi entrando, entrando, entrando, até que chegou no talo, tirei a mão da base do meu pau e segurei com as duas mãos na cintura dele.

O Bruno estava alí grudado em mim na minha frente com o cu recheadinho e totalmente preenchido pelo meu pênis ereto. Só o meu saco ficou alí com as bolas balançando do lado de fora, roçando nas coxas cabeludas dele. Ele só ali gemendo, sussurando e tocando uma punheta de leve, só aproveitando a sensação de ter um pau enfiado dentro do cu. Eu já senti aquela sensação várias vezes então eu sabia muito bem que delícia é sentir um pênis enfiado dentro do cu, nossa, é muito gostoso. Apesar da dor que se sente no início, depois que entra o pau todo, é só alegria, só aquela sensação gostosa de preenchimento, aquela sensação de cu recheado com um pênis ereto, com o membro viril de outro homem suado e macho.

Comecei então o vai e vem, o entra e sai, o mete e puxa. Segurando ele firme pela cintura eu puxava a bunda dele pro meu pau entrar bem devagar, e então puxava o pau de volta até metade pra fora do cu dele. Depois empurrava o pau pra dentro denovo e puxava pra fora denovo. Fiquei assim durante uns 5 minutos, só comendo aquele cuzinho na tranqüilidade, aproveitando a sensação de penetrar aquele rabinho quente numa boa. Até me esqueci que estávamos no banheiro da escola! Mas eu não tava nem aí, queria mesmo era só continuar saboreando devagar aquele rabinho apertado do meu garotão, do meu colega Bruno.

Então, de repente ele me veio sussurando com esse papo:

- "Léo deixa eu sentar no teu pau!"
- "Bah cara, tu quer colinho é?" - Perguntei com o pau todo cravado dentro do cu dele.
- "Quero, senta alí!" - Ele respondeu todo ofegante e cheio de tesão e fogo dentro daquele cu safado.

Tirei o pinto de dentro do cu dele e me sentei na tampa do vaso com as minhas pernas juntas uma na outra. Meu pau ainda estava duro e empinado igual uma espada. Quando vi meu pau já estava dando aquelas pulsações, você é homem e sabe como é, como se estivesse meio tremendo, por causa de tanto tesão.

Então, o meu garoto veio e sentou com as pernas meio abertas bem na cabecinha na minha rola empinada. Nossa, a cabeça passou direto pra dentro daquele cu arreganhado. Ele foi sentando, abaixando, descendo devagar pela minha vara, encaixando com respeito e carinho a minha piroca no rabo dele. Quando percebi o Bruno já estava alí, sentado no meu colo, com o meu pau todo dentro do cuzinho denovo. Senti as coxas peludas dele nas minhas coxas.

Então ele começou a subir e descer, levantar e sentar, sempre com o meu pau dentro do cu. Puta que pariu! Eu ia gozar se ele continuasse naquele ritmo! Que puto safado esse Bruno! Ele não tava nem aí se eu ejaculasse dentro dele, se eu gozasse um monte de porra e encharcasse aquele cu de sêmem, ele só queria saber de subir e descer, subir e descer, subir e descer, só cavalgando no meu colinho. Que homem delicioso, gostoso, que tesão de colega eu tinha!

Ele estava fazendo rápido demais, dessa vez era ele quem estava no controle, e eu não podia controlar o meu tesão! Fui obrigado a avisar pra ele:

- "Porra, Bruninho, assim eu vou gozar!"
- "É pra gozar mesmo! Goza no meu cu, goza! Aquela vez eu fui o teu macho e tu foi o meu putinho, mas essa noite você é o meu macho, e esse teu caralho é meu!" - O puto respondeu sussurando.
- "Ai caralhooooo, vou gozar, Bruno!"

Você acredita que o filho da puta não parou de cavalgar no meu pau? Ele continuou cavalgando no meu colo cada vez com mais força, a tampa do vaso já tava fazendo barulho! Ele levantava e sentava no meu pau, e o meu pau entrava todo dentro do cu dele e saia pela metade quando ele levantava. Aquele vai e vem, entra e sai, sobe e desce, estava me matando de tanto tesão, meu pau estava quase explodindo!

- "Goza! Goza, Léo!" - O safado filho da puta dizia pra mim enquanto cavalgava com vontade na minha rola.

Então, senti o orgasmo chegando, não tinha mais como evitar nem segurar. Em 1 segundo o meu pau explodiu no auge do prazer.

- "Aaaaaahhhffffff..... filho da puta, caralhooo! Gozei, seu pau no cu, safado!" - Sussurrei quase gritando.
- "Gozou seu puto? Encheu meu cu de porra né safado?"

Nossa, cara, gozei, e gozei muito. Acho que dei mais de 10 ejaculadas, senti meu pau esporrando umas 15 vezes dentro daquele cu quente e apertado. Comecei a tremer e a suar frio, e o Bruno já tinha parado de subir e descer, só ficou sentado no meu colo com o meu pau ainda dentro do cu dele, enquanto eu me recobrava de tanto prazer. O safado ainda teve a cara de pau de me perguntar:

- "E aí cara, curtiu meu cu?"
- "... Seu safado! Gozei muito nesse cuzinho!" - Respondi com a perna bamba e todo ofegante.
- "Eu senti, esporrou umas 10 vezes dentro do meu cu, senti esse caralho pulsando igual louco!"
- "Nossa, Bruno, tu é muito puto, meu... Nunca pensei que tu fosse tão puto e safado!"
- "Hahahaha... Tu também foi muito puto aquela noite que eu comi esse teu cu apertado aí! Hahahaha..."
- "Haha... E agora tu quiz dar o troco né, seu safadão?"
- "Claro. Adorei saborear o teu rabinho gostoso aquela noite, então eu pensei: tenho que matar ele de tanto tesão, pra retribuir todo o prazer que ele me deu na última vez que fodemos."
- "... Pô, valeu então! Hahaha..."
- "Haha..."

E ficamos alí os dois de calça e cueca arriadas, eu de perna bamba sentado na tampa do vaso e ele sentado no meu colo com o meu pau mole no cu, e rindo um da cara do outro. Suando frio e respirando fundo, depois daqueles 20 minutos de putaria naquele cubículo do banheiro.

De repente, o sinal da escola bateu! Nossa, ficamos mais de 20 minutos naquela fodelança e a aula toda passou! O professor devia ter ficado puto da cara com a gente. O Bruno levantou do meu colo, subiu a cueca e a bermuda, e espiou pela porta da cabine, o banheiro estava vazio. Então ele pediu para que eu esperasse que ele iria voltar pra sala, e depois eu sairia, pra não dar muita suspeita. Enquanto eu levantava a minha cueca e minha bermuda, ele abriu a porta da cabine, depois abriu a porta do banheiro, e saiu. Eu fiquei esperando um pouco, e então saí também. Quando cheguei na sala de aula, o professor de Biologia já havia ido embora, os alunos estavam esperando o próximo professor, e o Bruno, o meu Bruno, estava sentado na cadeira dele, fingindo que nada havia acontecido.

Me sentei na minha cadeira, e peguei o caderno pra fingir que estava lendo algo.

Mas... cadê o xerox que eu tinha ido buscar?



Baixar "Sacanagem no Banheiro da Escola" (formato PDF, 34 KB)

27 comentários:

  1. Meu, que delícia de conto!!
    Apesar de longo, como é bem escrito e muito safado, tem uma leitura cativante e nem é cansativa.
    Parabéns pelo blog!
    Ganhou um fã! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adorei minha pika de 20 cm rasgou meu short de tanto tezão
      Bati umas 2

      Excluir
    2. Realmente! Ja li todos os post do site e nao me cancei, muito pelo ao contrario deu tesao e vontade e ler mais ainda. Muito bom! Parabens e obrigado pelas histórias!

      Excluir
  2. Que dlç, queria estar junto com vcs !

    ResponderExcluir
  3. gozei....nuss q delicia!
    como queria q fosse comigo!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Adorei! Xara, vc escreve muito bem, da tesão em ler, vc tem o time das palavras, da pra imaginar o que vc quer que imaginemos...
    Fiquei aqui babando imaginando a situação, morrendo de inveja. rsrs :-)
    Mas da inveja boa. rsrsrs

    ResponderExcluir
  6. ACHEI O MAXIMO,PARABENS AOS DOIS.TO SUPER EXCITADO,QUERO CONHECER VC LEONARDO....

    ResponderExcluir
  7. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    ResponderExcluir
  8. Me fez lembrar de quando eu comia o cuzinho do Edu, eu com 15 anos e ele com 12. Sempre fizemos muita sacanagem...bom conto

    ResponderExcluir
  9. Quase eu gozei aqui na cadeira só de estar lendo sua história Leonardo será que vc poderia me falar em que cidade vc mora ou antes de falar o meu msn felipeesobrinhos@hotmail.com (quero dizer que não foi eu quem fiz tá por isso o e-mail é assim.

    ResponderExcluir
  10. eu gozei lendo esse conto, muito bom e eu quero dar para os dois

    ResponderExcluir
  11. Goste muito do conto eu to todo melado. Tenho 17 anos moro em minas e sou vergem a procura de algem pr tirar ela o meu telefone 3388874385

    ResponderExcluir
  12. humm q deliçia deu vontade de comer vcs 2

    ResponderExcluir
  13. Ótimo conto, parabéns!!! Ganhou um fã...
    Sou do agreste(interior) de Pernambuco, tenho 21 anos, corpo legal,não afeminado, gostaria de conhecer algum cara legal que curtisse tbm, pois nunca dei,,,
    meu e-mail: safmasc22@hotmail.com

    ResponderExcluir
  14. gostei doconto tenho 14 anos e uma rola de uns 15cm um cú bem apertadinho e to doido pra comer ocúzinho de um de vcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se tiver a fim add mak_dik@live.com

      Excluir
  15. Da próxima vez da um jeitinho de gravar e botar aqui pra gente!!!

    ResponderExcluir
  16. em toda minha vida eu nunca li um conto tão bem escrito , você com certeza deve ser um cara muito especial . eu sei que você não me conhece e que pode dá trabalho mais se não for pedi muito manda uma cópia para o meu email é : joyvanmarcelino2734@gmail.com

    é muito difícil achar um conto tão bem escrito com essas riquezas de detalhes que você põe .

    eu tenho 16 anos minha história é muito difícil , eu queria tanto ter alguém para chamar de meu . para conversar depois de tranzar , ser acordado por um beijo dá pessoa que você ama .

    eu queria poder amar , mais ninguém me quer e por ser gay é muito mais difícil porque você não sabe se ele é ou não .

    acho que vou morrer sem ter Consiguido amar ninguém.

    deixo meu face para quem quiser conversa

    é joyvan marcelino a foto e a foto de capa é de um desenho animado você logo irá reconhece .

    mais uma vez adorei o conto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou bloqueado, se puder me add lah.. te mando umas fotos.. Ah e Parabéns ao escritor do conto é muito excitante, fiquei de pau duro e me deu muita vontade de dar... e quase não há erros ortográficos, muito bom!

      Excluir
  17. que delicia e eu atrás de um pra chupar meu pau e eu meter muito muito meu pau.

    ResponderExcluir
  18. Bom, a história é interessante, entretanto, uma linguagem nada cativante e repetitiva.
    Mas mesmo assim me excitei lendo ;)

    ResponderExcluir
  19. moro em joinville adoraria sentar numa rola gostosa e chupar que nem louco e levar uma bela gosada no meu cú alguén afim?

    ResponderExcluir
  20. ninguén afim de transar gostoso em joinville?

    ResponderExcluir
  21. Adorei o Conto! Muito bem escrito e muito excitante, quem quiser umas fotos minhas e esteja disposto a mandar fotos tbm eu estou a disposição, meu face é João Paulo Ooliveira ---> https://www.facebook.com/jhon.victor.3745

    ResponderExcluir
  22. GOSTARIA MESMO É DE CONHECER MELHOR O samhuell sainths, DEPOIS DO QUE ELE POSTOU, MEU SONHO.

    ResponderExcluir